Home / Cidade / Davi Lucas já pode voltar pra casa, mas família precisa de ajuda para mantê-lo fora do Hospital

Davi Lucas já pode voltar pra casa, mas família precisa de ajuda para mantê-lo fora do Hospital

Fonte: Au Online/ Da Redação/ Fotógrafo: Arquivo Pessoal da família

Bebê de 11 meses foi operado em abril em hospital da capital, onde permanece internado até hoje.

Em 2018, o casal Márcio Joel Ludek, (26) e Viviane Navarini,(35) descobriram que um bebê estava a caminho. Da descoberta da gravidez, iniciou então, os cuidados com o pré-natal e mensalmente Viviane fazia acompanhamento médico da sua gravidez.

Mas, no segundo trimestre da gestação depois de muitos exames, foi constatado que o bebê tinha Síndrome de Down. Em exame de ecocardiograma fetal com doppler, também constatou-se um problema no coração, a cardiopatia congênita. Após, foram feitos outros diversos exames, que identificaram acúmulo de líquido no pulmão e no coração e nesse período, a mãe fazia exames três vezes por semana, para acompanhar a evolução do caso.

Até que no dia 12 de Dezembro de 2018, na consulta de rotina, apareceram alterações nos exames de Viviane e ela então, foi encaminhada ao Hospital Santa Terezinha, para realização de uma cesária de emergência.

O início de uma batalha que dura até os dias de hoje


Primeira foto do Davi, 1 mês e 8 dias

Davi Lucas chegou ao mundo já lutando pela vida. Ele nasceu, quase sem oxigênio e foi direto para a UTI neonatal onde permaneceu por quase 4 meses, enfrentando diversas complicações, por conta da cardiopatia. Davi Lucas teve convulsões e paradas cardiorrespiratórias.

Com o quadro de saúde em situação bem delicada e grave, a família recebeu orientação de buscar tratamento cirúrgico em Porto Alegre. No dia 22 de Abril, no Hospital da Criança – Santo Antônio, ele foi submetido a uma cirurgia que durou mais de 8 horas. O pós-cirúrgico deixou ele em estado gravíssimo, com 2 paradas cardíacas, logo após ter saído da sala de cirurgia. O pequeno Davi Lucas ficou 12 dias com o peito aberto, pois seu coração estava muito inchado, teve hipertensão pulmonar refratária.

Desde então os diagnósticos não tem sido nada bons. O “pequeno grande” Davi Lucas enfrentou muitos outros problemas nesse caminho, desde intolerância a lactose, trombose até uma traqueostomia. Ele faz uso de leite especial, o Neocate.

O pai e os irmãos moram em Paulo Bento – RS, a mamãe Viviane está na capital acompanhado o Davi. Como ele está internado, precisa de companhia 24 horas por dia. Há dois meses o Papai Márcio voltou para casa para trabalhar, mas nos finais de semana ele vai para Porto Alegre para a mamãe descansar.

Foram dias muito difíceis, mas hoje seu quadro de saúde é considerável estável. Davi é uma criança muito calma e tranquila, ele adora ver desenho e conversar por ligação de vídeo no whatsapp com a irmã Eduarda, o mano Éverton e com o papai. Ele ama brincar com o Mickey e adora o móbile com os brinquedos rodando. Na fisioterapia ele brinca e faz diversas coisas diferentes, cada dia é uma nova descoberta para ele e para nós. Todos os dias ele recebe papinha de maçã ou banana, ele adora comer, se lambuza todinho. Davi também gosta do sol, fica todo encantado quando a Mamãe leva ele perto da janela!

Chegou a hora de voltar pra casa

Logo que Márcio e Viviane chegaram em Porto Alegre, foi preciso alugar um lugar para morar, pois não conseguiram casa de apoio. Os gastos então foram aumentando, aluguel, água, luz, alimentação e materiais de higiene, além das fraldas do Davi. Com o hospital os gastos estão sendo quase nulos, pois está internado pelo SUS.

Até então eles vinham se mantendo com o dinheiro arrecadado em campanhas e eventos que foram realizados na cidade onde moram, porém agora o desafio é bem maior. A família se prepara para trazer Davi Lucas para casa, onde ainda vai necessitar de cuidados especiais. Para mantê-lo em casa de forma que possam ser atendidas as suas necessidades, serão necessários equipamentos, materiais descartáveis, além de apoio clínico. O bebê vai precisar de acompanhamento nutricional 1 vez na semana, fisioterapia respiratória todos os dias, acompanhamento fonoaudiológico todos os dias, acompanhamento contínuo de técnico de enfermagem com processos de enfermagem e médico pediátrico.

A lista de equipamentos e materiais que serão necessários é grande. A família vai precisar adquirir os seguintes equipamentos:

  • 2 ambus de reanimação, com reservatório e máscara
  • 1 aspirador de secreção portátil aspiramax,
  • 1 cilindro de oxigênio para transporte,
  • 1 válvula a vácuo pra aspirar sem luz,
  • 1 aparelho de pressão infantil,
  • 1 nebulizador com adaptação para traqueostomia,
  • 1 monitor de sinais vitais (saturação e cardíaca),
  • 1 bomba de infusão para dieta continua, (o tipo de ventilação ainda não está definida ), mas provavelmente um bipap,
  • concentrador de oxigênio e
  • 1 nobreik.

Também vão precisar dos seguintes materiais descartáveis, quantidade para o mês.

  • 600 sondas de aspiração traqueal n°6, 600 luvas estereis de polietileno,
  • 700 flaconetes de soro fisiológico 0,9% ou 7 litros,
  • 2 pacotes de gazes 13 fios 500gr,
  • 5 curativos para traqueostomia curatec 6×7cm,
  • 2 caixas de máscara descartável,
  • 4 caixas de luva de procedimento M,
  • Álcool gel,
  • Micropore,
  • 31 frascos pra dieta,
  • 31 equipos pra dieta continua,
  • 3 loções oleosas dersani,
  • 1 rolo de tegaderm 3m,
  • 2 cavilon spray,
  • 2 dexpantenol creme labial,
  • Seringas de 1ml,
  • Seringas dosadoras de 5ml,
  • Seringas dosadoras de 10ml,
  • 4 extensor para aspiração,
  • 4 extensor para oxigênio,
  • Fraldas tamanho M (conforme passarem os meses G),
  • Leite neocate (processo aprovado pelo estado),
  • além de uma lista de remédios contínuos que são: levotiroxina, omeprazol, furosemida, sildenafila, levotirocetan, vitamina d, sulfato ferroso, varfarina, fosfato de potássio e jatinhos de salbutamol.

Você pode ajudar Davi Lucas voltar pra casa!

A volta do pequeno para Paulo Bento, depende de a família conseguir montar esse suporte em uma outra casa, para então, poder recebê-lo. É uma infinidade de coisas e o valor para aquisição de todo esse material é bem alto, o custo mensal para mantê-lo será de R$ 14.000,00. Isso pode demorar até dois meses. A família busca na justiça o direito ao atendimento domiciliar (Home Care). Também foi solicitado ao governo do Estado o fornecimento do leite especial que ele usa, processo já autorizado. A família também terá que mudar de casa e de cidade, para poder ficar mais perto de atendimento médico, hospital.

A irmã de Davi Lucas criou uma conta na vakinha online para arrecadar recursos. A conta foi criada quando Viviane foi para Porto Alegre mas agora mais do que nunca, recebe contribuições para poder adquirir os equipamentos necessários para manter Davi fora do hospital.

Na “vakinha”, há a possibilidade de pagamento com o cartão de crédito ou boleto, mas infelizmente tem um valor mínimo de R$ 25,00.

Visite https://www.vakinha.com.br/vaquinha/auxilio-despesas-do-nosso-pequeno-davi-lucas e contribua.

Caso seja de sua preferência o depósito em conta, você pode fazer depósito na conta abaixo:

Banco: Sicredi 

Agência 0217 

Conta 52830-7

Veja Também

Paulo Bento: CRAS promove encerramento de atividades.

Fonte: Assessoria de comunicação. Na tarde desta segunda-feira dia 25, realizou-se as atividades de encerramento ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

: